Um Desabafo sobre Snyder, seu Superman e alguns fãs | Fora de Cena

Por Pedro Amaro

Caso você tenha vindo com uma ideia pré concebida só pelo título do texto ou pensa que critico não serve para nada, creio que aqui não será o melhor lugar para você. Então nem precisa continuar lendo.


Caso não seja, és mais do que bem vindo.


Antes de mais nada, preciso dizer que me considero um fanboy dos filmes de super herói da DC/Warner. Seja por nostalgia, já que meu pai me levou quando criança para assistir ao filmes do Batman, ou por eu ser colecionador de quadrinhos desde 1996.

 

Por que estou falando isso?

 

Porque a internet não gosta de desconhecidos que aparentam falar com segurança ou propriedade de algum assunto. Transformam o debate cinematográfico em um discussão de futebol.

 

Mas porque escrever um texto desses próximo advento do novo filme do diretor? Vamos lá.

 

Zack Snyder é o cara mais odiado e amado na internet. Desde sua participação em Watchmen, o diretor divide opiniões, mas foi em O Homem de Aço e Batman VS Superman que os comentários sobre sua “visão” tomou proporções gigantescas.

O que me incomodou nisso tudo?

Existe uma parcela que se ofende quando alguém monta uma crítica bem fundamentada ao trabalho do Snyder. É claro, também existe muita gente criando notícia sensacionalista em relação a qualquer trabalho de sua autoria. Essa segunda parcela eu ignoro porque não tenho mais esperanças. Meu foco é nos que se dizem fãs, mas são incapazes de conseguir ouvir qualquer comentário que não exalte os filmes do “visionário” diretor.

 

A única defesa dessa galera é dizer que você não entendeu a história ou que não gosta do Snyder (o famoso hater).

 

Essa é a maior besteira que inventaram. E tem gente que realmente acredita nisso.

 

Principalmente quando o assunto é o Superman de Henry Cavill.

E sim, eu entendi o filme e nao sou nenhum hater. Mesmo que você tente argumentar isso.

 

Snyder pensou em um herói que evoluísse aos poucos. Ele queria mostrar como foi o caminho até se tornar o Superman definitivo (que veremos no filme da liga).

 

Até aí tudo bem. Na verdade, a ideia é ótima pois abre espaço para uma leitura, atualização e fazer com que o personagem tenha novos fãs.

 

O problema é quando o diretor coloca isso em prática. Até porque qualquer proposta pode ser válida, ou, parafraseando Roger Ebert, não importa sobre o que o filme é, o importante é como ele mostra sobre o que ele é

 

Ai que se instala a grande crítica ao Zack Snyder e o seu “Superman”.

 

Ele ter dúvidas o tempo todo é super válido. Eu consigo até aceitar o fato dele ter matado o general Zod, não que eu concorde, mas pelo filme é coerente.

 

Mas o que busco questionar é porque na batalha no Kansas (em O Homem de Aço) o Superman não cuida para que todos estejam em segurança. Ele não faz nenhum esforço para poder mudar a luta de lugar e sai quebrando tudo. O que vemos são dois segundos de fala do herói e a população se escondendo atrás das portas.

 

Alguns até podem argumentar assim: mas ele está aprendendo a extensão de seus poderes.

 

OK, tudo bem. Mas na batalha de metropolis temos o mesmo problema. Ele chega a beijar a Lois Lane e fica nítido que não se importou com a cidade destruída e nem as pessoas que morreram ali. E mesmo que não tenha sido tão bem mostrado, muitos foram mortos.

Na última cena (onde o Superman conversa com um militar), temos uma imagem de alguém que quer ajudar. Seus motivos ficam muito mais claros, porém tudo que ele passou nesse filme é praticamente retirado em Batman VS Superman e fica pior a representação do Snyder. Ele nao aprende nada. E continua quebrando tudo ao seu redor sem necessidade, como no primeiro resgate a Lois (no começo do filme).

 

“Ah, mas ele está em construção”

 

Mentira. Zack queria, em BvS, mostrar o herói desconstruído.

 

E antes que reclamem, são palavras dele

 

E para desconstruir, tem que ter algo construído.

 

 

 

Eu gostaria de verdade ter sido apresentado ao herói com uma construção mais nítida e não uma que só acontece na cabeça do Zack (e de alguns fãs). Seria ótimo ver o personagem mudando em cada filme, mas em vez disso, temos apenas ações sem significado e uma regressão.

Um Superman que pouco sorri, não se preocupa com a sua força, não salva ninguém (não há nenhuma grande sequência) e pouco tem o seu conceito explorado.

 

Isso quer dizer que estou torcendo para o filme da liga fracassar?

Não! Na verdade – e eu sei que vai aparecer arrogância – me considero um dos maiores fãs dos personagens da DC (depois dos camaradas do site Terra Zero).

 

Acho Cavil um péssimo ator?

Não! Tenho certeza que ele será marcante para a sua geração. E torço demais para que isso aconteça.

 

Sou hater do universo DC ou do Snyder?

Não. Na verdade me considero mais fã do que a maioria (Tá, eu sei que soou arrogante de novo).

Finalizando, espero de coração que o diretor tenha feito um trabalho competente com a liga da justiça. Não merecemos um Superman com essas incoerências.

 

Meu objetivo aqui é questionar. Cinema sempre foi, dentre outras coisas, um local de debate. E não quer dizer que estou tentando te convencer. Você não precisa concordar comigo, apenas observar a coerência de meus argumentos.

 

E não há nada pior do que um fã que não sabe argumentar.

 

Pense nisso.

 

 

Inscreva-se no Canal e Curta a Fan Page
YoutubeCanal Claquete
Facebook/canalclaquete
Temos um grupo no Facebook para discutir e trocar filmes:
Faça Parte!

Você Também Vai Gostar