Liga da Justiça | Sim! O futuro é positivo! | Crítica

Por Pedro Amaro

 

121 min – Ação / Aventura – 2017
Direção: Zack Snyder
Roteiro: Chris Terrio e Joss Whedon
Com: Ben Affleck, Gal Gadot, Henry Cavill e outros

 

A crítica não serve para nada, não é mesmo? Esse é um pensamento de alguns fãs.

Um bom profissional nunca deve dizer se a pessoa deve ou não ir ao cinema para assistir determinado filme. Entre todos os apontamentos que a crítica pode fornecer, analisar a obra dentro de sua proposta e como nos mostrará a mensagem executada deve ser algo prioritário (ao meu ver).


Qual a relação disso com Liga da Justiça?

É um filme que soube ouvir as críticas e a abraçou. Deixando a história mais decupada e direta.

Antes de mais nada, vale a pena lembrar dos pontos duramente criticados em suas obras anteriores: roteiro inconsistente, ausência de cores na arte e uma direção mediana de personagens.

Esses pontos foram duramente levantes nos mais diversos sites e textos.

E o que a Warner fez?

Realizou um filme mais direto e consistente. Se por um lado alguns pontos podem ser mais “corridos” (como momentos de confronto), pelo outro evita incoerências significativas na trama que lhe suspende do filme.

Você está dentro de uma história com cores. E não há problema nenhum em mostrar um cenário onde a escuridão prevalece, mas se tornou evidente que tal representação não pode ser uniforme para todos.

E por último, os personagens. Eles são o carro chefe do filme. Mesmo com um vilão inútil (que infelizmente é pensado de forma rasa na construção, mas profunda no CGI), consegue cativar e gerar empatia pelo heróis, uma vez que todos são revelados com pendências internas e externas. Isso é interessante quando pensamos que a grande produção cinematográfica heróica se baseia nos conflitos do grande antagonista da trama e ignoram a sua função em grupo.

Não só com problemas individuais nós os vemos, mas também com muita sintonia. E principalmente, se preocupando um com o outro. É interessante que o próprio Superman assume para o espectador que isso faltava…e o vazio de sua resposta é a confirmação.

Mas a relação não seria tão interessante se não fosse pelo humor. No filme veremos momentos que vão fazer o público gargalhar fortemente, mas também beira o exagero em algumas cenas…tipo equívoco dos filmes contemporâneos desse gênero.

Mas tal proposta é super válida, pois faz com que a necessidade de contar a história de um determinado herói em um filme solo seja desnecessária.

Do mesmo jeito que a crítica já contribuiu para o reconhecimento de Hitchcock como mestre e para destacar Scorsese na nascente geração dos anos 70, a própria discute a necessidade da Warner de melhorar os seus filmes.

Sendo assim, Liga da Justiça não é uma obra isenta dos clichês e problemas do gênero, cumpre seu papel de “corrigir os problemas” de seus filmes anteriores e “arrumar a casa” para um futuro positivo, sem esquecer que a parte dramática dos heróis não será ignorada.

Há duas cenas extras no filme.

Fique até o final.

Vão valer a pena.

 

Poster Oficial

 

Inscreva-se no Canal e Curta a Fan Page
YoutubeCanal Claquete
Facebook/canalclaquete
Temos um grupo no Facebook para discutir e trocar filmes:
Faça Parte!

Você Também Vai Gostar

  • VolneyT

    Muito bom!